Um sabor especial

O Figueirense venceu as últimas quatro partidas contra seu adversário da noite deste sábado, o Joinville. A escrita começou na partida final da decisão do campeonato estadual de 2006, no mesmo palco do jogo de hoje, o estádio Orlando Scarpelli.

Depois daqueles memoráveis 3 a 0, o Furacão Alvinegro ganhou por 5 a 2 (em casa), 2 a 1 (fora) no estadual do ano passado, e voltou a vencer no 1º turno do campeonato deste ano, por 1 a 0, na Arena de Joinville.

Mais do que isso, o Figueira, desde 1999, tem dado o troco em todo o sofrimento causado pelo JEC na década de 1980. Nos últimos 10 anos, foram 29 confrontos por campeonatos estaduais, com 16 vitórias alvinegras, sete empates e apenas seis derrotas.

A última derrota do Figueirense para o Joinville foi na primeira partida da decisão de 2006, exatamente no dia 2 de abril, por 2 a 1. Um resultado nem tão amargo assim, graças ao gol salvador de Edson no fim da partida, que facilitou um bocado as coisas no jogo da volta, quando o Figueira conquistou seu 14º título e tornou-se o clube mais vezes campeão de Santa Catarina.

Destes confrontos mais recentes, destaco dois, não por sua importância, mas pelas circunstâncias dos espetáculos. O primeiro valia pela primeira fase do 1º turno do campeonato estadual de 1999, ou seja, é o jogo que inaugurou a série vitoriosa do Figueira citada acima.

Foi no dia 17 de março, no Scarpelli. Jogando mal, o Furacão fez um a zero. Seguiu mal e tomou o empate. No final do primeiro tempo, o goleiro Sílvio (com longa passagem pelo JEC), então no Figueira, cometeu um pênalti e foi expulso. Seu reserva, o baixinho Leandro, vindo do Fraiburgo, entrou e pegou a cobrança.

No início do 2º tempo, com o placar ainda marcando 1 a 1, o lateral direito Edinho também foi expulso. Com dois a menos, o Figueira foi buscar forças não se sabe de onde e venceu a partida por 3 a 1. O terceiro gol foi uma pintura de Genílson, que arrancou do meio-campo, levou duas faltas de vencida, e tocou na saída do goleiro.

Foi uma das poucas vezes em que vi um time vencer com apenas 9 jogadores em campo. Não segurar um placar que já estava favorável antes das expulsões, mas sim abrir vantagem quando já estava com dois atletas a menos no gramado.

A outra partida não consta da estatística acima, mas foi igualmente memorável. Disputado em 12 de setembro de 2001, no Scarpelli, valia pelo 1º turno da série B do Brasileiro daquele ano. O placar de 4 a 3 para o Figueira disse o que foi o jogo. Um partidaço, com Perdigão (aquele mesmo, atualmente no Corinthians) comendo a bola pelo JEC e Fernandes dando show e marcando o gol da vitória no finzinho da partida para o Figueira.

Ainda que o JEC não viva um bom momento, é um confronto no qual a vitória tem um sabor especial. Pena que o horário ? 20h30 de um sabadão ? e o mau tempo possam prejudicar a presença do público e qualidade do espetáculo. Mesmo assim, vale a pena conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *