O jogo do ano

No boxe, costumam dizer que a cada ano acontecem três ou quatro lutas do século. É a forma de promover os embates. Deixando o exagero marqueteiro de lado, a situação do Figueirense é parecida. No sábado, faz o jogo do ano. O primeiro de uma série de cinco.

Não vai ser fácil. O Atlético ressurgiu no campeonato. Ganhou quatro dos últimos cinco jogos e faz a quarta melhor campanha do returno. Para se ter uma idéia do tamanho da recuperação do Galo, o time mineiro ganhou 24 no 2º turno. O Figueirense ganhou 27.

Como só ganhou 15 pontos no primeiro turno, os 39 obtidos até agora ainda não livram a cara do Atlético do rebaixamento, ou seja, o Galo não deve vir ao Scarpelli relaxado, já pensando nas férias. Ainda precisa pontuar para escapar da ameaça de cair.

O Figueira precisa de no mínimo 10 pontos dos 15 que faltam disputar para ter chance de pegar a Libertadores. Isso dá margem para um empate e uma derrota.

Mesmo em ascensão, o Atlético é, teoricamente, um adversário menos qualificado do que os seguintes (Flamengo, Fluminense e Corinthians). Vencer o Galo, nessa perspectiva, passa a ser muito importante.

Licença de saúde

Depois de uma árdua batalha para ?convencer? o plano de saúde, este blogueiro se submete a uma cirurgia neste sábado, o que, obviamente, vai impedi-lo de ir ao Scarpelli para o jogo contra o Atlético.

A recuperação leva de uma semana a 15 dias, durante os quais iremos retomar as atividades cotidianas gradativamente. Tentarei atualizar o blog assim que possível, mas vai depender do andamento do pós-operatório.

No outro domingo quero estar no Scarpelli para ver o jogo contra o Fluminense. Vou então me cuidar direitinho e volto assim que puder. Enquanto isso, continuo na torcida pelo Figueira.

Até mais.