Discurso também incita a violência

No mesmo momento em que um ato irracional fere um torcedor e provoca uma intensa repercussão em todo o estado, ocorre novamente o recrudescimento do discurso contra a arbitragem e de denúncia supostos complôs e esquemas para beneficiar o time A ou B. Dirigentes, técnicos, jogadores e profissionais da imprensa deveriam ter mais cuidado com o que dizem. Isso vale inclusive para o Figueirense, que através do treinador Alexandre Gallo e do gerente Alexandre Barros, já andou esbravejando virulentamente contra a arbitragem. Tenham cuidado ao abastecer o barril de pólvora alimentado por fanatismo exacerbado e muita gente de cabeça fraca.

Ainda mais, que muita gente utiliza desse artifício simplesmente para transferir a responsabilidade por seus erros e encobrir sua própria incompetência.

São tempos chatos, carentes de bom humor e leveza? São, mas são os tempos que vivemos. Então, pensem antes de falar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *